quinta-feira, 16 de maio de 2013

A morte de Thomas Ince

O Oneida

Propriedade do magnata William Randolph Hearst, o iate de luxo "Oneida" desatracou de Los Angeles rumo a San Diego para um final de semana de festa. Tratava-se da comemoração do aniversário de 42 anos de Thomas Ince, a quem se credita a invenção do sistema de estúdios de Hollywood. 

Várias personalidades do meio cinematográfico estavam à bordo. Entre elas, a amante de Hearst, a atriz Marion Davies, e o mito Charles Chaplin. O convidado de honra, no entanto, sofreu uma intoxicação alimentar após um jantar em sua homenagem e foi levado de volta à sua casa em Los Angeles, onde faleceu em decorrência de um ataque cardíaco.

Depois do funeral, o corpo foi cremado sem a realização de uma autópsia, tornando as circunstâncias que cercavam o fato ainda mais misteriosas. Não demorou e surgiu o boato de que Hearst havia baleado o produtor na cabeça. 

As variáveis desse rumor eram baseadas em uma antiga suspeita de Hearst, de que Marion e Chaplin estariam vivendo um romance. Inseguro, o milionário das comunicações usou o aniversário do cineasta como pretexto para observar as investidas de Chaplin em sua amante.

Numa noite regada a uísque e jazz, o anfitrião teria sacado sua arma depois de flagrar o "casal" em um momento bastante comprometedor. Os gritos de Marion acabaram atraindo Ince, que levou o tiro destinado a Chaplin. Em outra versão, a arma foi disparada acidentalmente, com a bala perfurando uma parede de madeira e atingindo o produtor em seu quarto.

Dias depois do desembarque, o secretário de Chaplin, Toraichi Kono, afirmou ter visto Ince, em terra firme, sendo carregado pelos ombros com um sangramento à bala. A história rapidamente se espalhou por toda  Beverly Hills. 

Muitos acreditavam que Hearst havia usado seu poder e influência para abafar o incidente, pois todos os que estavam presentes no iate se beneficiaram de alguma forma; tiveram hipotecas quitadas, promoções no trabalho, emprego nas empresas de Hearst e etc. 

O escritório da promotoria de San Diego chegou a abrir uma investigação, que não foi muito adiante. Afinal, houve pouca colaboração dos envolvidos. Chaplin, por exemplo, confirmou ter ido visitar Ince antes de sua morte, acompanhado por Hearst e Marion. Além disso, a viúva se mandou para a Europa, logo após a morte do produtor.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário