sábado, 27 de julho de 2013

Welcome to the jungle


Antes de conquistar o sucesso com "Ace Ventura: Um Detetive Diferente" (Ace Ventura: Pet Detective  / 1994), Jim Carrey enveredou por filmes de qualidade duvidosa e realizou inúmeros shows de comédia stand-up.

Mas a sua curta participação em "Dirty Harry na Lista Negra" (The Dead Pool / 1988) merece destaque. No papel de Johnny Squares, um roqueiro drogado que participa de um filme produzido e dirigido por Peter Swan (Liam Neeson), o ator canadense interpreta "Welcome to the Jungle", da banda "Guns N' Roses", como se fosse o próprio cantor da música e consegue arrancar boas risadas.

Já os membros da banda (Axl Rose, Slash, Duff McKagan, Steven Adler e Izzy Stradlin), que na época faziam sucesso com seu primeiro álbum "Appetite for Destruction", aparecem em duas cenas: No porto, durante a gravação de um filme, e durante o enterro de Johnny Squares. Slash aparece, inclusive, com seu tradicional chapéu.

Por fim, Jim Carrey aparece nos créditos finais com seu verdadeiro nome: James Carrey.

domingo, 21 de julho de 2013

Béla


Originado no famoso livro de Bram Stocker e produzido pela Universal Studios, Drácula (Dracula / 1931) conseguiu se transformar em um dos maiores clássicos de terror da história sem precisar se valer, acredite, dos dentes afiados, de violência ou sangue.

Tal resultado foi obtido graças a cuidadosa direção de Tod Browning e do poder de sedução do húngaro Béla Lugosi, que nessa época não falava uma palavra em inglês. Para conseguir o papel, o ator teve de decorar suas falas foneticamente, o que resultou em um sotaque charmoso e bastante peculiar. No mais, usou e abusou do seu olhar fixo penetrante para compor o personagem. 

Quando retratou o início da trajetória de "Ed Wood" (Ed Wood / 1994) no cinema, o diretor Tim Burton mostrou, em paralelo, os últimos dias de um decadente Lugosi, que rendeu ao seu intérprete, o veterano Martin Landau, o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante. No filme, via-se um Lugosi pobre, dependente de drogas e bastante agressivo quando ouvia falar do "Frankenstein" de Boris Karloff. Durante uma cena em que lutava com um polvo cenográfico, tomou uns goles de Whisky e admitiu que havia recusado o papel do monstro por opção pessoal.

Completamente esquecido, resolveu participar de filmes de qualidade duvidosa do diretor Ed Wood na esperança de retomar seus melhores dias no cinema. Costumava ligar para ele durante as madrugadas procurando ajuda depois de se drogar com morfina. Muitos garantem que este vício teve início durante a Primeira Guerra Mundial, quando Lugosi foi ferido gravemente durante uma batalha. 

Chegou a ser internado para superar o vício, mas teve de deixar a clínica por não contar com o auxílio doença do governo. Morreu logo após esse episódio e foi enterrado trajado de Drácula, por sugestão de uma de suas ex-esposas e de seu filho Béla Lugosi Jr.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Teorias...


Após ser agraciado com o Oscar, Frank Sinatra aceitou interpretar um assassino profissional em "O Meu Ofício é Matar" (Suddenly / 1954). Na época, o filme foi responsável pela quebra de um verdadeiro tabu, pois ilustrava o sentimento de medo dos americanos de que matassem seu presidente durante a guerra fria.

Reza a lenda que Lee Harvey Oswald teria se inspirado neste filme na véspera de matar o presidente John Kennedy. Quando Sinatra soube disso, fez tudo para proibir a circulação do filme. 

Tudo em vão. Com os anos a situação só piorou e o filme se proliferou. Os produtores se esqueceram de renovar o "copyright" e a obra passou a ser de domínio público. Qualquer pessoa poderia exibir ou produzir cópias da produção. Muitas das que circulam por aí são simplesmente piratas. 

Na estória, o presidente dos EUA resolve dar uma passada na cidadezinha de "Suddenly" antes de ir para uma fazenda. O forte esquema de segurança não consegue impedir que o atirador John Baron (Sinatra) invada um indefeso lar e coloque-se em posição de atentar contra o figurão. 

Um filme que vale ser visto, principalmente pela surpreendente atuação de Frank Sinatra.